Em Helsínquia, primeira edição deste projecto, URBANIA acolheu o tema de pesquisa para 2010 do Reality Research Center – “can the sacred be performed?” –, deixando que este enforme a sua análise do espaço urbano e tentando perceber como é que a cidade e os seus habitantes se relacionam com o sagrado.

 

Nesta cidade, há uma linha de eléctrico cujo percurso descreve a forma do símbolo do infinito. Entrando no eléctrico, a viagem repete-se. Chegados ao centro, encontramos o fim e o início mais uma vez. Sentamo-nos e viajamos num tempo circular, apaixonados ou horrorizados pela possibilidade de repetir a viagem - a existência - o mundo. Sentamo-nos como o Homem religioso que espera o fim de um ciclo para renascer.

 

Aqui, acrescentou-se a URBANIA o subtítulo “the ultimate pilgrimage”, esperando que a arrogância desta expressão contamine o percurso realizado e despolete uma reflexão individual sobre a relação entre o sagrado e a cidade.

urbania | helsínquia

2010

teatro meia volta e depois à esquerda quando eu disser