teatro meia volta e depois à esquerda quando eu disser

Entre 2011 e 2013, o teatro meia volta e depois à esquerda quando eu disser convidou um grupo de habitantes da freguesia da Sé, no Porto, a participar em vários encontros, durante os quais se discutiu a sua relação com o teatro. Como é que estas pessoas olham os teatros, as companhias teatrais e a programação cultural da sua cidade? Sentem-se próximas ou completamente alheadas? E o contrário também – como olham as instituições e os agentes teatrais esse público? Como respondem ao desafio da democratização cultural? Fará sentido falar em formação de públicos? Em acessibilidade das obras?

Esta edição contemplou um programa extenso de encontros, que incluiu a visita a diferentes espaços culturais do Porto, o visionamento de vários espectáculos e ainda uma participação no “Ciclo de Teatro do Porto”, no São Luiz Teatro Municipal. Numa fase final, o grupo de participantes acompanhou também as diferentes fases do processo de criação de “Casa Pardas”, com encenação de Nuno Carinhas.

Estes encontros foram acompanhados por uma equipa de sociólogos do Departamento de Sociologia da Faculdade de Letras da Universidade do Porto. Deste trabalho, resultou também um documentário que segue o percurso desta edição, em paralelo com o processo de criação do espectáculo “Casas Pardas”.

2011 2013

o público vai ao teatro #1