“Projecto_Banheira, mais do que uma tentativa de criar um mundo à parte, no que poderia ser um escapismo para um diálogo mais de perto com um público infanto-juvenil, é antes um exercício dramatúrgico intenso, tanto a um nível textual quanto plástico.”

 

Tiago Bartolomeu Costa,Do lugar de onde se vê –

sobre o trabalho do teatro meia volta e depois à esquerda quando eu disser

 

 

O Projecto_Banheira parte de um enunciado – um retalho de realidade como mote para a construção de um mundo possível.

A banheira enquanto objecto de uso quotidiano cumpre um propósito de funcionalidade. Mas como qualquer objecto que cruza o nosso dia-a-dia, também a banheira se rodeia de uma malha apertada de conotações que a fazem transcender o seu estatuto de objecto e ganhar a dimensão de símbolo. Isto decorre principalmente de uma espessura vivencial que associamos ao espaço da banheira – que é, incontornavelmente, um espaço do humano.

projecto_banheira

2006

teatro meia volta e depois à esquerda quando eu disser