"c'est un beau geste que celui de l'équipe portugaise d'Alfredo Martins à Porto: O Nome da Ruas compose une tonique méditation, qui marie théâtre, danse et video, sur les identités - les solitudes - urbaines modernes. (...) du meilleur de ce que Premières cette année proposa."

 

 Antoine Wicker, D.N.A., 15 jun 2008

 

 

Em O Nome das Ruas, abordamos a humanidade numa lógica de confissão. São pessoas paradas num tempo psicológico, testemunhos desarticulados e confusos sobre os desafios incríveis da pessoa. Tudo surge como um discurso de revelação de um “eu” interior, de uma verdade profunda sobre o que somos. É um retrato do anti-herói – o homem como ser de beleza e horror, capaz do inefável e do obsceno, oscilando entre a normalidade e a dissidência.

o nome das ruas

2006

teatro meia volta e depois à esquerda quando eu disser